Reflorestamento: Dez meses e 228 árvores depois

Voltamos à Reserva do Uatumã, na Amazônia, para acompanhar o primeiro plantio das nossas árvores. E foi emocionante.

Quatro horas de avião, mais cinco de carro, mais duas de barco — ufa!, chegamos finalmente.

Há dez meses o Samuel, a Fernanda e o André visitaram a Reserva do Uatumã pela primeira vez. A ideia era conhecer de perto o projeto Carbono Neutro, capitaneado pelo IDESAM.

E agora, no início do mês de março, foi a minha vez de ir até lá e documentar o que está rolando na parceria da Sobrebarba com a ONG.

Além de acompanhar o plantio das nossas primeiras árvores! Em breve a gente vai publicar dois mini docs sobre essa história toda. Aqui já tem um teaser para você sentir como foi a viagem.

Contextualizando: parte do lucro de toda venda dos produtos Sobrebarba é direcionado para ajudar no reflorestamento da Reserva do Uatumã, na Amazônia.

Nossa colaboração é feita através do IDESAM, que organiza e orienta esse meio de campo através da criação dos Sistemas Agroflorestais (SAFs).

Com a colaboração dos clientes da Sobrebarba, foi possível plantar até agora um total de 228 árvores. =D

Mas o que são os tais SAFs?
Explicando rápido, são sistemas inteligentes em que, junto com o replantio das árvores nativas (que foram desmatadas para dar lugar a pastos, por exemplo), são plantadas outras culturas como mandioca, cacau, maracujá, etc.

Essas novas culturas viram insumo para que a população local faça negócios, tirando daí seu sustento e fazendo a economia girar.

É bom para o meio-ambiente, é bom para os moradores. Vale destacar o cuidado e dedicação com que o IDESAM toca o projeto: as árvores são monitoradas desde o plantio, durante um período de 27 anos no total, e também contam com um sistema de geolocalização.

Bom, depois de ver in loco o processo todo funcionando — o viveiro de mudas, o plantio de algumas árvores, um SAF já todo bonitão e robusto -, o que senti foi orgulho. Orgulho de colaborar e estar envolvido com um projeto sério e tão bacana como esse.

Se liga na história do Seu Aldemir , por exemplo: há não sei quantos anos, era o chefe dos moradores locais contratados para desmatar e extrair ilegalmente o pau-rosa, xodó das perfumarias europeias, cujo óleo é até hoje usado como fixador em muitos perfumes famosos.

Cabia ao Seu Aldemir (nas fotos ali embaixo) e trupe entregar as árvores cortadas aos exploradores gringos, que levavam clandestinamente a planta para o exterior, a preço de banana.

Hoje Seu Aldemir, com a ajuda e orientação dos agrônomos e engenheiros florestais do IDESAM, virou agente agroflorestal e mantém um dos SAFs mais bonitos e variados da região. Planta o pau-rosa (que ainda corre risco de extinção), além de muitas outras espécies. Seu filho mais velho também já aprendeu que é mais lucrativo se relacionar com a terra de forma inteligente e acabou de criar seu próprio SAF, a exemplo do pai.

Ambos tiram dali seu sustento e não desmatam mais. Os tempos de ilegalidade ficaram para trás.

Tem como não se emocionar?

Samuel Tonin

Samuel Tonin

Um nerd que curte escrever umas paradas, editar uns vídeos, tomar uns cafés, passar dias de chuva jogando videogame e fundador da Sobrebarba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *